VW CAROCHA

FÓRUM DE VW CAROCHAS E DERIVADOS TRANSFORMADOS
 
InícioInício  PortalPortal  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  
Últimos assuntos
» A vareta da valvula saltou do martelo
Seg Jul 04, 2016 2:11 am por Boss

» Carocha esquecido
Seg Abr 13, 2015 1:00 pm por Verissimo

» Apresentação
Ter Fev 24, 2015 4:05 pm por LourencOldSchool

» rui 1302s
Sex Dez 26, 2014 2:57 pm por rui

» duvida carburador
Sab Dez 13, 2014 4:16 pm por martins

» preparação de cabeças de motor 1600cc
Qua Out 29, 2014 4:30 pm por Klavadish

» Problemas na afinação dos carburadores duplos
Ter Ago 05, 2014 5:03 am por f_valentim

» Restauro Carocha 72
Ter Jul 01, 2014 2:49 am por teixeirasergio

» Apresentação
Ter Jul 01, 2014 2:43 am por teixeirasergio

Buscar
 
 

Resultados por:
 
Rechercher Busca avançada
Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Fórum
Parceiros

Compartilhe | 
 

 VIver com o Nuclear

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
britanico

avatar

Mensagens : 18
Data de inscrição : 27/07/2009
Localização : Reino Unido

MensagemAssunto: VIver com o Nuclear   Ter Jul 28, 2009 10:45 am

Residir no Reino Unido, significa viver de perto com a opção da energia nuclear. Tema mais do que medonho nos media portugueses,tabu até, a utilização de energia nuclear para produção de electricidade tem sido sempre olhada como algo a temer e a barrar a todo o custo.

Por Mike Silva


Fica bem para debates televisivos, e para partidos "verdes" tão na moda insurgirem-se contra este tipo de tecnologia, embora por vezes nem percebam como tudo funciona e acontece. Não existindo praticamente nenhum esclarecimento e técnicos sobre energia nuclear em Portugal, o povo cresce a comparar esta forma de produção de energia com a explosão de Hiroxima. É como se comparássemos um porta-aviões armado até aos dentes, com uma fisga.
Conhecida que é por vós a minha apetência para o debate de assuntos polémicos, e por lançar o debate sobre caminhos pouco trilhados, decidi por isso trazer á praça pública este assunto, tantas vezes escondido, mal-interpretado, distorcido e incompreendido.

A energia nuclear, é perigosa. Não tenhamos dúvidas sobre isso. Qualquer coisa que pese um quilo, e gere o calor equivalente a noventa vagões de trinta toneladas de carvão, deve ser tratada com respeito , conhecimento e precaução.
Como funciona um reactor nuclear?
Este termo medonho, não é nada mais do que uma panela de água grande, a ser aquecida pelo calor libertado da combustão de Urânio pobre , em camadas muito pequenas e facilmente controláveis. A radioactividade mede-se com aparelhos Geiger, e a unidade de medida é o Roetgen. Muitos corpos de bombeiros no UK estão equipados com fatos e medidores próprios.

A combustão do Urânio, que se encontra sob a forma de plasma, processa-se entre discos gigantes de chumbo, que são mudados obrigatóriamente de três em três anos. O calor da combustão, vai ferver a água , que ao provocar vapor sob pressão vai fazer girar turbinas que produzirão electricidade.
O tamanho de um "reactor nuclear", este monstro tão medonho, é aproximadamente o mesmo de uma Ford Transit. Sim, um reactor nuclear é estupidamente pequeno. As torres de refrigeração, ou as "chaminés", apenas expelem vapor de água resultante da refrigeração do reactor, e não substancias radioactivas.Uma central nuclear pode ter cerca de oito reactores , cada um com um centro de comando e monitorização próprio.
O tipo de Urânio utilizado numa central nuclear, é muito mais "fraco" do que o utilizado para fins militares, e não pode ser "roubado" para produzir bombas. É como se fôssemos roubar um motor de uma Zundapp, para propulsionar um camião.

É claro que todos estaríamos melhor sem este risco acrescido. Mas a procura do Homem por mais bens de consumo, por mais produção, por mais lucro e por mais energia, não se pode satisfazer com dispendiosas centrais térmicas a carvão e a combustível fóssil. As energias renováveis, são muito bonitas, mas o Homem precisa desistir da sua procura pela produção de opulência e riqueza para que elas possam ter uma chance.E não sei também se quero todo e qualquer centímetro quadrado do mundo coberto de painéis solares e de ventoínhas. Mesmo que isso acontecesse, nem mesmo assim poderiamos saciar o apetite por energia que parecemos ter cada vez mais. A energia nuclear é apenas mais uma lenha seca que atiramos para a voraz fogueira do consumismo, na esperança que nos aterre em casa mais e mais barata energia, o que tarda a acontecer. A resposta mundial está no "downgrade" do consumo e em percebermos de que temos de consumir menos.

Chernobyl aconteceu há vinte anos, e muitas lições se tiraram do acidente, e a tecnologia evoluiu grandemente. Comparem por exemplo os carros de 1988, com os de 2008. Uma central nuclear não "explode" e o que aconteceu com Chernobyl foi uma fusão do reactor que era mal mantido, e a fuga aconteceu para atmosfera.
Não defendo a opção nuclear, mas compreendo a necessidade do lucro e do desenvolvimento. A electricidade já está cara. Esperemos que não tenhamos de pagar caríssimo por esta opção...

(Mike Silva reside no Reino Unido e é autor e correspondente de diversos media portugueses e ingleses)
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.saladasmaquinas.blogspot.com
LOYO

avatar

Mensagens : 1083
Data de inscrição : 03/03/2009
Idade : 54
Localização : Tondela

MensagemAssunto: Re: VIver com o Nuclear   Qua Jul 29, 2009 6:01 pm

Pois é, nós continuamos sem centrais nucleares, mas levamos com elas junto às fronteiras, e depois os Espanhois e o outros vendem-nos a electricidade produzida por elas. pirat

Fazendo uma analogia eles têm um Carocha de 200cv e nós continuamos com 34 cv. affraid

Acho que sim é um mal necessário, que com a tecnologia actual é muito segura.

Se começarem a verificar e analizar todas as radiaçôes a que hoje somos sujeitos, acabavam as tecnologias actuais lol!

Cumps
Voltar ao Topo Ir em baixo
fabricio.vergetti



Mensagens : 36
Data de inscrição : 30/08/2009
Idade : 44
Localização : maceio - alagoas - brasil

MensagemAssunto: Re: VIver com o Nuclear   Ter Set 15, 2009 9:57 am

LOYO escreveu:
Pois é, nós continuamos sem centrais nucleares, mas levamos com elas junto às fronteiras, e depois os Espanhois e o outros vendem-nos a electricidade produzida por elas. pirat

Fazendo uma analogia eles têm um Carocha de 200cv e nós continuamos com 34 cv. affraid

Acho que sim é um mal necessário, que com a tecnologia actual é muito segura.

Se começarem a verificar e analizar todas as radiaçôes a que hoje somos sujeitos, acabavam as tecnologias actuais lol!

Cumps

sem falar que qualquer problema em reatores ingleses ou espanhois , nao deixa portugal livre de sofrer consequencias.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: VIver com o Nuclear   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
VIver com o Nuclear
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» As Maquinas - Porque Recordar é Viver!
» Vida de Emigrante: Levar Scooter para estrangeiro
» Agua do radiador baixando W168
» Viver Madeira com a Vive Madeira
» deixar de ser sócio em zca da zona onde estou a viver

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
VW CAROCHA :: Bem vindo ao VW CAROCHA :: C O N V E R S A S-
Ir para: